ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PATOLOGIA DUAL - APPD

 

A Associação Portuguesa de Patologia Dual – APPD, foi criada em 29 de Novembro de 2009, com o objetivo de “fazer o estudo da Patologia Dual em todas as suas vertentes: epidemiológica, etiopatogénica, preventiva, diagnóstica, terapêutica, implicações sociais e reabilitativas” (Estatutos APPD, 2009). O que procurávamos, na altura, era tão-somente reunir um grupo de pessoas, técnicos de várias áreas profissionais, preocupados em entender melhor e aperfeiçoar a abordagem e tratamento dos doentes com patologia dual e adictiva.

Seis anos depois, a APPD, organizou dezenas de ações de formação para médicos psiquiatras e de outras especialidades, enfermeiros, psicólogos, outros técnicos, e 5 congressos internacionais trazendo a Coimbra os mais prestigiados cientistas, clínicos e técnicos, permitindo uma vasta e rica discussão de todas as temáticas relacionadas com a doença Adictiva e dual em todas as suas vertentes. Participou com simpósios e mesas redondas em múltiplos congressos nacionais e internacionais, nomeadamente em Espanha, Escócia, Marrocos, Argentina e Brasil.

A APPD assinou protocolo de colaboração com a Sociedade Espanhola de Patologia Dual (SEPD), com quem temos desenvolvido intensa e profícua colaboração. É membro de pleno direito da Associação Mundial de Psiquiatria (WPA) desde Julho de 2014. Assinou protocolo de colaboração com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e a Sociedade Espanhola de Patologia Dual, tendo desenvolvido intensa parceria entre as 3 associações, nomeadamente na organização dos 2 congressos Ibero Brasileiros de Patologia Dual e Comportamentos Adictivos.

Realizou em 6 de Março de 2015, na Casa da Cultura, um Fórum de Debate público – Doente Adicto e Dual: Viver com o estigma, integrado na programação do II Congresso Iberobrasileiro de Patologia Dual e Adictiva. Este fórum contou com a exibição do filme Esta é a minha casa de Pedro Renca e foi moderado pela jornalista Cecília Carmo.

Está já em preparação o VI Congresso Internacional de Adições e Patologia Dual, que decorrerá de 1 a 4 de Junho de 2016 em Lisboa, com o tema: Patologia Dual e Adictiva: Um desafio para a humanidade. Este será um momento importante de reflexão sobre como lidar os problemas de adicção e patologia dual no mundo no século XXI, contando com a presença dos mais eminentes cientistas da área. O Dr. Luís Duarte Patrício, nome incontornável na prevenção e tratamento nesta área em Portugal, deu-nos a honra de presidir este evento.

Está no prelo o livro Doença Psiquiátrica e Adição, duas faces da mesma moeda?, aguardando-se a sua publicação em Janeiro de 2016..

A APPD tem desenvolvido inúmeras ações junto de doentes, familiares e amigos, no sentido de sensibilizar, formar e promover o combate ao duplo estigma a que esta população está sujeita. Estas acções culminam neste momento, com o apoio à formação da Associação Nacional de Doentes Adictos e Duais (ANDAD), cuja escritura pública foi assinada em 9 de Junho de 2015.

Conta, atualmente, com 200 associados, sendo uma associação viva e interveniente, no mundo cientifico e junto do público em geral, intervindo na sensibilização, informação, formação e investigação, com objetivo de combater o estigma e melhorar as condições de tratamento e de vida da população com doença adictiva e mental. 

Num período em que a organização de serviços de psiquiatria, saúde mental e adições está em transformação no nosso país e no mundo, a APPD continua a assumir a sua responsabilidade na discussão e investigação, procurando colaborar na definição das melhores soluções para problemas tão complexos. 

A Presidente da Direção da APPD

 

Célia Franco