A Associação Portuguesa de Patologia Dual - APPD, associou-se à Sociedade Espanhola de Patologia Dual (SEPD), à Fundação de Patologia Dual, a Associação Mundial de Patologia Dual e a Secção de Patologia Dual da Associação Mundial de Psiquiatria (WADD), na tradução e divulgação do Decálogo de Patologia Dual (clique aqui para ver), uma vez que partilha a preocupação de existirem, face aos avanços científicos, múltiplas carências no tratamento adequado e integrado de doentes com Doença Mental Grave e Adicção de Substâncias ou Comportamentais.

O documento Joint Statement on Dual Disorders; Addiction and Other Mental Disorders (clique aqui para ver) resulta do consenso entre várias sociedades cientificas internacionais será apresentado e discutido no Congresso Mundial de Psiquiatria em Outubro próximo, estando a ser divulgado por todo o mundo.
 
A integração dos vários serviços públicos que tratam os doentes com Doença Mental e Adiçcão de Substâncias (Serviços de Saúde Mental, Serviços de Tratamento de Álcool e Substâncias), aos vários níveis assistenciais (cuidados primários de saúde, equipas de saúde mental comunitária,  serviços de internamento hospitalar e de reabilitação), desenvolvendo planos de tratamento adequados à situação clinica de cada doente, permitirá, sem custos acrescidos, melhorar substancialmente a eficácia da prevenção,  tratamento e recuperação dos doentes, melhorando a sua qualidade de vida, a sua integração no meio social e na família.

Chamamos a atenção para o fato de o Relatório da Avaliação do Plano Nacional de Saúde Mental 2007-2016 e propostas prioritárias para a extensão a 2020 estar em discussão pública até 30 de Setembro em  (https://estudo.min-saude.pt/limesurvey/index.php/786574?lang=pt), sendo importante que profissionais, doentes e famílias deem o seu contributo e discutam o referido documento.  

   

 
 19 de setembro de 2017
 

Célia Franco

 Presidente da APPD